Siga-nos nas Redes:

Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva

Releases

A cada hora, duas pessoas ingerem objetos estranhos em SP

27/02/2014 . Por Vivacom

Principais vítimas são crianças de um a quatro anos


Cerca de 50 pessoas são atendidas em prontos-socorros e ambulatórios públicos por dia por terem ingerido ou aspirado "corpos estranhos" como moedas, osso de frango, espinha de peixe, peças de brinquedo e até alfinetes, segundo a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. A maioria das vítimas são crianças de um a quatro anos. A Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED) alerta que a primeira medida nesses casos deve ser sempre procurar um serviço de atendimento de urgência.

"É importante ressaltar que levar a pessoa o mais rápido possível ao médico é essencial para que, após examinar o paciente, o profissional possa identificar e definir qual tipo de tratamento deverá ser instituído no prazo de tempo menor possível, para evitar complicações", explica o gastroenterologista Gustavo Andrade de Paulo, diretor da SOBED.

O diretor ainda aponta que por meio do exame de endoscopia é possível localizar e extrair o corpo estranho, em muitos casos, sem a necessidade de cirurgia. "Este procedimento é bem simples e tem como função verificar em qual local o corpo estranho se alojou e retirá-lo sem comprometer o aparelho digestivo ou respiratório do paciente".

Sobre o procedimento da endoscopia

Primeiro é aplicado um anestésico (geralmente em spray) na garganta do paciente, que deve estar deitado na posição lateral. Um protetor bucal é colocado para que ele não feche a boca. Depois é inserido o gastrofibroscópio, pela garganta até o intestino.