Siga-nos nas Redes:

Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva

Releases

4/2- Dia Mundial do Câncer: terceiro tipo de câncer que mais acomete brasileiros, casos de cólon e reto têm 70% de chances de cura

05/02/2014 . Por Vivacom

Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED) alerta para a importância da conscientização sobre a doença altamente curável se diagnosticada precocemente


Como alerta para o Dia Mundial do Câncer, celebrado todo dia 4 de fevereiro, a Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED) chama a atenção para o câncer de cólon e reto, que é o terceiro mais incidente em mulheres e quarto em homens. De acordo com o último censo do Instituto Nacional de Câncer (Inca), divulgado em dezembro, estima-se que neste ano, 576 mil novos casos surgirão, acometendo cerca de 17 mil mulheres e 15 mil homens.

Segundo o presidente da SOBED, João Carlos Andreoli, é necessário que sejam criadas políticas públicas de conscientização da população e dos profissionais da saúde para o diagnóstico precoce deste tipo de câncer, que viabiliza a cura em até 70% dos casos. "Na maioria dos casos esse tipo de câncer é silencioso e assintomático, mas pode ser diagnosticado precocemente pelo exame de sangue oculto nas fezes e/ou por colonoscopia, o que aumenta a chance de cura dos pacientes, por isso é importante que existam campanhas como a do câncer de mama e a do câncer de próstata".

Abrangendo tumores que agridem um segmento do intestino grosso (o cólon) e o reto, o câncer ou carcinoma colorretal, é tratável e, na maioria dos casos, curável quando ainda não se espalhou para outros órgãos. Grande parte desses tumores se inicia a partir de pólipos, lesões benignas, que podem crescer na parede interna do intestino grosso.

Exame de sangue oculto nas fezes

Por ser um exame rápido e de baixo custo para a eficácia na prevenção, Andreoli explica que o teste é uma importante ferramenta de rastreamento deste tipo de câncer, por ser não invasivo e de maior aplicabilidade em termos populacionais. O exame é indicado para pacientes com mais de 50 anos. Caso haja histórico do câncer colorretal na família, é recomendável fazer o teste de antes dos 40.

Sobre a Colonoscopia

Em caso em que o paciente já apresente sintomas como sangramento anal, muco nas fezes e alteração do hábito intestinal, a colonoscopia é realizada como procedimento preventivo, diagnóstico e curativo.

Este exame permite a visualização direta do interior do reto, cólon e parte do íleo terminal (final do intestino delgado) por meio de um tubo flexível introduzido pelo ânus, contendo em sua extremidade uma minicâmera de TV que transmite imagens coloridas, podendo ser fotografadas ou gravadas em vídeo. O paciente é sedado, deitado em uma maca sobre seu lado esquerdo, possibilitando a passagem do endoscópio. "Durante o processo de varredura, é possível fazer a ressecção dos pólipos adenomatosos que são as protuberâncias que poderão virar tumores e câncer, o que possibilita a cura do paciente", conclui Andreoli.